Enquanto jogava Candy Crush – Rosa da Semana

Olá minhas rosas e meus lírios!

Enquanto jogava ‘Candy Crush’ comecei a pensar na vida e a observar o quanto nossa vida se assemelha ao jogo. Vivemos superando etapas, passando por fases, umas difíceis outras nem tanto. É engraçado o quanto nossa vida inteira pode ser comparada a esse simples joguinho.  

Até as instruções no início do jogo vivemos ao longo da nossa infância com nossos pais dizendo: não faça isso, faça isso que você ganha aqui, faça aquilo que você chega a tal lugar.

No Candy Crush, assim como na vida, passamos por fases tão difíceis que pensamos que nunca vamos conseguir ultrapassar. Há alguns que até desistem de jogar, outros que param por um tempo e depois voltam a tentar, e outros que insistem até conseguir superar aquela fase.

Existem fases tão prazerosas que queremos repeti-la inúmeras vezes se assim fosse possível.

Assim como na vida sempre passamos de fases, mudamos de foco, e o desafio a cada novo momento é outro.  

Uma grande semelhança é com o perfil dos jogadores: alguns serão acumuladores de dinheiro e bens e outros serão esbanjadores, sempre vivendo a espera de um novo “poderzinho especial”, que vai te ajudar a passar de fase.

Uns podem pagar caro para facilitar seu trajeto, outros se recusam a gastar tanto para conquistar algo que o trabalho, mesmo que árduo e demorado, pode proporcionar.

Em Candy Crush quando pensamos que as coisas estão fluindo agarramos em uma fase difícil que demora a ser superada.

Fiquei me perguntando qual diferença podemos encontrar desse jogo com nossa vida, e sinceramente foi difícil definir, pois até mesmo a possibilidade de voltar atrás e jogar uma fase novamente o jogo nos mostra que podemos fazer isso, mas não tem o mesmo prazer que vivemos da primeira vez que jogamos.

Talvez voltar atrás para corrigir um erro pode ser uma diferença, e nem sempre podemos fazer isso em nossa vida e, no fim das contas, continuaremos seguindo em frente em busca de novos desafios, e aprendemos com os erros passados para não cometê-los de novo.

E lembrando que quando pensamos que estamos acabando a jornada, todos os dias são criadas 5 novas fases para nos aventurar.

Agora acho que sei a diferença entre Candy Crush e a vida: no jogo podemos desligar a hora que quisermos e voltar a jogar quando desejarmos. Na vida, se resolvermos fazer o mesmo, não temos a possibilidade de retornar para tentar novamente!  

Minhas rosas e meus lírios, assim como em Candy Crush, aproveite cada fase que a vida lhe proporciona viver. Procure aprender com cada situação, se esforce para tirar o melhor de cada instante, e se não conseguir 3 estrelas em algum momento, não se cobre demais, pois a oportunidade de tentar e ter superado cada momento é única e especial.

Então, se lambuze de doces e não se esqueça de que a vida é única para ser vivida e aproveitada.

Um beijo.

Fan Page | Instagram

😘

Você também pode gostar dessas rosas...

42 Comentários

  1. Nossa, eu jogo candy crush e nunca tinha parado pra ver o jogo dessa forma. Realmente parece muito com nossa vida, mas foi como vc mesma disse: a diferença entre eles é essa mesma de desligar e voltar a jogar quando quiser. Muito boa reflexão, gostei mesmo!
    Tem post novo lá no blog, um beijo 🙂

    Blog | Facebook | Instagram

  2. Como sempre, texto majestoso Re. A vida é o único jogo o qual não podemos voltar atrás pra corrigir os erros! Boa analogia, adorei…

  3. Olá Regiane,
    Nunca joguei Candy Crush mas adorei a comparação com a nossa vida. Realmente tem fases muito árduas na nossa vida e parece que a gente não vai passar nunca. Caímos e levantamos várias vezes até conseguir superá-las

    Big Beijos,
    Lulu
    BLOG | YOU TUBE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *